Base de Dados Empresas & Avaliação de Empresas | Glossário
PT

GLOSSÁRIO

ACTIVO – É um recurso Controlado por uma entidade como resultado de acontecimentos passados e do qual se espera que fluam benefícios económicos futuros para a entidade. O valor do ativo de uma empresa é igual ao somatório do passivo com a situação líquida.

CAE – Classificação das Atividades Económicas que define qual o ramo de negócio de uma entidade empresarial. Esta classificação é composta por um código de 5 dígitos, é única e reconhecida oficialmente pelos organismos governamentais, em Portugal e no resto do mundo.

CAPACIDADE FINANCEIRA - É uma medida de avaliação que representa a existência de recursos financeiros e o respetivo impacto dos mesmos em termos de gestão de risco de crédito. Este indicador é calculado tendo por base o capital próprio, sempre que tenhamos acesso às Demonstrações Financeiras ou, na sua ausência, no Capital Social.

CAPITAL PRÓPRIO - Recurso financeiro necessário ao investimento. O capital pode ser próprio, quando pertence à entidade investidora.

EXISTÊNCIAS OU INVENTÁRIOS - Bens armazenáveis adquiridos ou produzidos pela empresa e que as destinam à transformação, à venda ou, ao consumo.

LIMITE DE CRÉDITO - este indicador recomenda um limite mensal de envolvimento em termos de concessão de crédito e é atribuído de acordo com os resultados da avaliação do nível de risco de crédito e da capacidade financeira de uma entidade, baseando-se num ponderador relacionado com o capital próprio de uma entidade ou, na sua ausência, com o capital social. O limite de crédito recomendado apenas fornece um valor de referência de crédito mensal a ser concedido a uma determinada entidade e não deverá servir como limite máximo de crédito. Antes deve ser ajustado à realidade e especificidades de cada negócio, assim como das culturas e políticas de concessão de crédito das entidades envolvidas.

NÍVEL DE RISCO DE CRÉDITO - traduz a probabilidade do risco de incumprimento em transações comerciais à base de crédito. Este indicador constitui uma avaliação global dos negócios com base na informação disponível sobre os elementos de crédito mais significativos, tais como historial, antiguidade, informação financeira, incidentes comerciais e insolvências, dimensão, antiguidade, sector de actividade, entre outros.

PASSIVO – É uma obrigação presente da entidade proveniente de acontecimentos passados, cuja liquidação se espera que resulte num fluxo de recursos da entidade que incorporem benefícios económicos. Isto é, corresponde às obrigações assumidas por uma empresa relativamente aos seus credores, sobre a forma de dívidas a pagar. O passivo é também chamado de capital alheio, pois constitui capital de terceiros que financia a atividade da empresa (o ativo de uma empresa, é financiado por capitais próprios + capitais alheios).

RATING DYNAMIIC - é um sistema de avaliação de entidades empresariais que mede a probabilidade de incumprimento em termos de risco de crédito no curto prazo. É um modelo dinâmico totalmente desenvolvido pelo IIC, baseado nas melhores metodologias estatísticas conhecidas e nas características intrínsecas ao tecido empresarial Português, que analisa e relaciona um conjunto de fatores determinantes na avaliação do comportamento em termos de risco de crédito.

RESULTADO LÍQUIDO - Denominação utilizada para designar os lucros ou os prejuízos (caso seja negativo) de uma empresa, num determinado período de tempo, geralmente o exercício económico que, em regra, coincide com o ano civil. O resultado líquido corresponde ao lucro obtido pela empresa já após a dedução dos impostos que sobre ele incidem.

VENDAS LÍQUIDAS – corresponde a receita de vendas de produtos e serviços da empresa, líquido de impostos sobre vendas, abatimentos e devoluções.

INCIDENTE COMERCIAL – é uma informação pública de caráter negativo como uma ação judicial cível, execução, insolvência ou processo especial de revitalização. São geralmente acionados na sequência de processos de incumprimento e, de acordo com a sua natureza, podem negativamente a reputação comercial de uma empresa.

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS – São uma representação estruturada e organizada da situação financeira e patrimonial de uma determinada empresa. As principais demonstrações financeiras são as seguintes: Balanço, Demonstração de Resultados e Demonstração de Fluxos de Caixa.

IES – INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA – é uma nova forma de entrega, por via eletrónica e de forma totalmente desmaterializada, de obrigações declarativas de natureza contabilística, fiscal e estatística.

RÁCIOS – são relações entre grandezas originárias das demonstrações financeiras que podem ser expressas sob a forma de quociente ou percentagem. É uma das técnicas de análise financeira e económica mais utilizadas e consiste em estabelecer relações, ou rácios, entre contas e agrupamentos do Balanço e Demonstração de Resultados. Possibilitam sintetizar uma grande quantidade de informação e comparar o seu desempenho financeiro e económico das empresas, bem como a sua evolução no tempo.